o mar e restos do sol

02 julho, 2005


já fui até ao mar. hoje estou cheia de praia. recheada de luz de fim de tarde e com a pele a saber a sal do ar do mar. hoje estou mais quente na pele e por dentro. estava frio, uma ventania incrível, mas o mar aquece. ficamos com gotas de raios na pele, a brilharem em tom dourado. qundo chego do sol do mar sinto-me dourada.

hoje só tenho desejos de verão e promessas de coisas boas dentro de mim. só para não ficar sozinha comigo, nem com a minha cabeça. o verão é a estação mais solitária de todas, por isso é que nos cercamos constantemente dos outros e parece impossível ficar sozinho.


hoje guardei o pôr-do-sol dentro dos olhos
tenho olhos cheios de sol,
encharcados só de luz.

nunca mais a noite vai chegar
com o sol nos meus olhos.
e assim vou boicotar a noite
ao fechar os olhos.
o dia prolonga-se
meus olhos adentro.
vamos para lá fugir à noite.
temos luz para uma noite por
cada sol que guardei
dentro dos olhos.

a sufragista mais sol e vazio,
ainda incompleta como nunca,
cheia de nada

Sem comentários:

Enviar um comentário