caleidoscópio

07 outubro, 2005




Os olhos como espelhos da alma são caleidoscópios da vida
e como frases feitas ou belíssimas, a inspiração é tão intuitiva como viver...
e ser poeta só por uma vez numa página, é como deixarmos de ser
e olharmos de fora com olhos de deus o caleidoscópio do mundo.

Ao abrirmos uma página do Grande Livro, pensar como quem não pensa
como beijar como quem não ama e só quer prazer e jogo,
e separar a vida da alma, sentindo só com a cabeça e o coração a palpitar.
(A vida fervilha de visões múltiplas e coloridas, sempre diferentes.)

Enquanto sobrevoar a vida, o poeta não é mais terreno
é etéreo e brilhante, menos humano, mais pó de estrelas,
no espaço imenso da sobrevida, como voando a morte.

Ao voltar à alma traída, e aos olhos lancinados por luz
o corpo segrega o seu vício diário: a vida em forma de belo,
a alma em forma de vida e no fim, a viagem como um soneto.


a sufragista e a alma diferente

Sem comentários:

Enviar um comentário