existência I

09 fevereiro, 2006



hoje vi uma abelha a passear
era pequenina e descrevia o
caminho da morte

no céu os pássaros contemplam
a vida mais longe da terra
peregrinação grávida de nada

eu tenho a lua no útero
fecundada em mim no primeiro
dia dos astros, mais perto que hoje

nesta lua, grávida de mim,
não há morte.
a existência é precária e
uma intensa perda de ar


coisas pequeninas,
do tamanho da lua,
escritas nos cantos
das páginas impressas

Sem comentários:

Enviar um comentário