nem sempre as asas voam mais alto que as penas. nem sempre as penas cabem nas asas.

03 abril, 2010



viver sem voo
sabê-lo escondido

nas vertebras de ave
ou costas de anjo,
corpo a tornar-se
vento, de pé na terra
ao céu é um pulo.
e querer nunca mais
pousar depois de te 
saber nesse voo divino.
desejar-te um voo
para sempre, leve 
como a eternidade,
as tuas penas 
pequenas e invisíveis 
nas asas estreadas.

Sem comentários:

Enviar um comentário