sverige

06 novembro, 2010

bed sight

um país onde não há existe uma casa feia, um país onde todas as casas são bonitas, por dentro e por fora, e, por isso, todas as ruas são bonitas, tem de ser um bom país. mas, lá fora, raramente faz sol.

em gotemburgo, para além de deliciosos brunches e fikas comprei um alfabeto de carimbos na Granit e um caderno cinzento e caneta na Muji. entrei num museu do design, o rösska museet de borla, dizendo apenas que era estudante de design (não pedem para mostrar um cartão, como os inquisidores de serralves). escolhi-te umas luvas e gorro a condizer e passei por lojas que me fizeram curiosa. aprendi finalmente a tricotar, com lindas agulhas de bambu e lã bonita, no conforto quentinho de um apartamento sueco, branco e ikea.

no país do ikea não se pode construir novo. isso é o segredo para terem de recuperar o antigo. é uma vida aparentemente fácil e simples, a moderação, a contenção e a simplicidade são as normas. mas lá fora fazem -25º no inverno e tens de ir trabalhar mesmo com dois metro de neve à porta de casa. dorme-se bem no país da pipi das meias-altas e come-se ainda melhor. mas está-se bem é dentro de casa.

4 comentários:

  1. Estive em Estocolmo, há dois anos mais ou menos, tirando a neve, que não cheguei a ver, concordo com tudo o que descreveste.Não conheci nenhuma casa por dentro, estivemos hospedados num Barco atracado, mas as fachadas são lindas, e adivinhava-se pelos candeeiros, colocados nas janelas, o bom gosto que teriam por dentro. Saí de lá a pensar que se não gostasse de viver em Portugal, escolheria Estocolmo, por todas as razões que referiste, até a de entrar de graça nalguns museus! :-)

    ResponderEliminar
  2. Adorei a descricao :D

    És sempre bem vinda ao meu pequeno apartamento sueco, branco e ikea ;)

    ResponderEliminar