ainda da leitura

23 novembro, 2011

alfarrabista
E depois de ler… (mas acima de tudo muito, muito ler). E depois, muito, muito escrever.
Escrever e comunicar. Aprender a escrever um bilhete à empregada, a dizer assim, um bilhete a dizer: “O meu filho está doente, não pode vir à escola”. Como é que começa? “Cara professora” ou “Minha cara professora”, ou “A quem de direito”… Com muita risada ensinaria a escrever tudo. Uma lista das compras, por exemplo assim: uma lista de coisas que se quer, “dois chocolates”, mas quais chocolates? Então “dois Crunchies”, mas pões-se aspas nos Crunchies ou não? Quer dizer, o prazer de escrever, da mesma forma que o prazer de ler. O prazer e a importância de escrever. Da escrita como engate, como é possível engatar uma rapariga ou um rapaz com a escrita. E com isso, com a leitura vem isso: o saber estar sozinho. Porque, a velhice, ou… as pessoas não arranjam a mulher ou o marido ou o namorado… e a verdade é que estamos muito tempo sozinhos. Sozinhos. A solidão é uma coisa terrível. E com os livros, quando há livros não há solidão. 
Miguel Esteves Cardoso

Sem comentários:

Enviar um comentário