das faltas

06 novembro, 2011


gamla stan
o mais difícil é o silêncio. por cá parece uma coisa palpável, com corpo. como se vivesse connosco nos intervalos dos sítios e da respiração. vive também dentro das pessoas. 
é como se estragar o silêncio fosse estranho, fosse diferente. aqui o silêncio é como de vidro. menos frágil, mais corpóreo. não se estraga facilmente.
nunca pensei ter saudades do ruído português...

Sem comentários:

Enviar um comentário