vinte e cinco

25 abril, 2012

no liceu fiz uma qualquer redacção sobre o 25 de abril, não sei bem que coisa disse – a nota não foi muito boa – sei o que quis dizer. no dia em que a minha cabeça nasceu ofereceram-me a liberdade e conheci a diferença. conheci e aceitei a diferença. que no mundo haveria de ver gente clara ou escura, pobre ou rica, mão esquerda ou mão direita fechada sobre o peito, e haveria de me reportar constantemente àquele momento que guardei esquecido para só entender mais tarde. haveria de entender, uma vez por todas, que não desperdiçaria nunca coisa tão cara que um só dia me trouxe. 
valter hugo mãe

Sem comentários:

Enviar um comentário