madrid me mata

22 setembro, 2006


Madrid me mata porque es intensa!
Madrid está renovada e parece que respira melhor. Madrid está menos tensa e mais intensa! Madrid está cheia de gente de todas as cores e línguas e funciona. Madrid está mais saudável, uma cura tardia através de um mal maior. Madrid celebra o 11M num mausoléu a ver brevemente. O Rainha Sofia é sempre perfeito, estavam mais de 50 pessoas a olhar para o Guernica como uma celebração recente da dor e do fabuloso que é sertirmo-nos capazes de a representar; a exposição do Gordon Mata-Clark é fabulosa tal como ele. Manolo Valdés é também excelente e grandioso à espanhola!
De manhã, no bairro Chueca vi uma galeria como haviam de ser todas, a respirar ar cosmopolita e coisas de metrópole. Comi com pauzinhos em plena España, numa cidade em que os pobres são tristes e vivem nos longos subúrbios da cidade. Choveu em Madrid uma chuva miudinha, como benção calada e eu sinto arrepios nos carris da Estación de Atocha.
Com uma vida nova e um sentimento de esperança renovada e de respirar de alívio, parti com a sensação de uma Madrid mais solidária e menos séria do que a que vi há 2 anos (fevereiro de 2004). E nunca parto sem deixar a promessa de voltar outra vez e descobrir como é que esta cidade fria, feia e gigante me pode apaixonar.

Sem comentários:

Enviar um comentário