alegoria de Menina

24 março, 2007




Menina era inocente. Vítima da sua própria incompletude, a ignorância era para ela uma virtude pois conhecer não era seu objectivo. Saber viver, para Menina, era ser com a maré do tempo, segui-la para
onde fosse e não saber de dentro de si, apenas ser para fora. Menina era para si o seu reflexo de fora de si mesma, o que via era o que os Outros viam, e só sabia de si porque os Outros sabiam.


Antes de a conhecer achei que Menina não poderia viver sozinha pois acabaria por se esquecer da sua própria existência. Mas não. Menina vive muitas vezes sozinha e não se esquece de si mesma. Não pensa em si, apenas vive para fora sem dizer palavra porque tão pouco fala para dentro de si, apenas para os Outros. No entanto, por raro que pareça, Menina não se perde de si, nem desespera!, é Menina sem pensar em ser Menina e sem pensar nos Outros.

Eu quero ser como Menina.

3 comentários: