dias

06 novembro, 2007

o dia da praia
foi o dia um de mudar
o dia do vinho
foi o dia dois de mudar.
mudar, foi de dias,
sequências sofridas,
rápidas e desespero
entre as dobras do corpo,
um respirar de novo
o que me alimenta.
eu. eu me como no
vazio dos dias e
desejo, sóbria, etérea
e única. a solitária.

não é necessário morrer
para voltar a sentir
basta contar fios
nos dias
e libertar na pele
o bicho dos sentidos.
percorro as linhas gordas
da utopia espelhada
em planos obtusos,
na volúpia da alma.

2 comentários:

  1. Dias oportunos para mudanças.. que sejam muitos!

    ResponderEliminar
  2. as palavras fazem todo o sentido, têm vida e sim, dias oportunos. boa

    ResponderEliminar