train fiction

07 outubro, 2009

Estou num comboio fantasma. Que bom! A sensação de um comboio vazio de gente, de indicações, limpo de sinais ... só um comboio. Anónimo.
— Acho que vai para Nenhures — disse alguém ao seu lado.
Um passageiro fantasma? Um homem velho que não tinha visto chegar, distraída a escrevinhar no seu caderninho preto, tentando lutar contra a velocidade desajeitada do comboio que a fazia saltitar letras pelas páginas do caderno.
— Desculpe? Disse que vai para onde? — peguntou ela, meio a fingir que não ouvira o comentário, meio curiosa.
— Para Nenhum Lado. Nunca lá esteve? — o homem continuou sem esperar a resposta — É um sítio lindíssimo, passei lá belos tempos, só não me lembro quando... (Falava como se consigo mesmo, como se pensasse em voz alta.)

Sem comentários:

Enviar um comentário