lördagsgodis

25 maio, 2015

Voltar ao ritual da infância dos sábados de manhã: levantar muito cedo e ver filmes antigos. Este era dos meus favoritos e deve ter vindo também daí a paixão secreta pela vida (e pelas casas e bolos) dos suecos.

Em vez da minha cassete VHS, o online streaming — essa maravilha desmaterializadora que me salvou tantas vezes de morrer de tédio por aquelas bandas.

O título refere-se ao sábado doce dos suecos, que eu imaginava, quando era pequena e via este filme, que comiam bolo com chantilly ao pequeno-almoço como a Pippi.

Em adulta descobri que reservam os bolos para um ritual tão importante como ver o festival da Eurovisão religiosamente — o fika. E este ritual pode-se dizer tão importante como o nosso café (bica ou cimbalino). Para o fika não há horários mas normalmente ocorre de tarde, antes do final do trabalho (à sexta-feira nas empresas ou em reuniões de trabalho), e ao sábado à tarde, quando ocupam os cafés com a familia para grandes malgas de café com leite e bolos diversos (consoante a época do ano). Por tarde quero dizer entre as 15 e as 18, que na Suécia é tudo muito cedinho. 

Fiquei com saudades da Villa Villekulla em que morei tanto meses, e da magia da infância que é possível por ali, com garrafas de limonada escondidas numa árvore oca.

Sem comentários:

Enviar um comentário